Perfil

Érika Amorim nasceu, em Fortaleza, do dia 30 de maio de 1979. Durante a infância, morou em Parambu, no interior do Ceará, e no Rio Grande do Sul, retornando para a capital cearense na adolescência. No pleito de 2018, foi a deputada estadual mais votada do Ceará, entre as mulheres, com 86.320 votos.

É formada em Administração de Empresas, mestranda em Ciência Política. Está, há 22 anos, casada com Naumi Amorim, ex-prefeito de Caucaia, com quem tem três filhos.

Na 30ª Legislatura da Assembleia do Ceará, Érika Amorim assumiu a presidência da Comissão da Infância e Adolescência da Casa. Em 2021, Érika assumiu a terceira secretaria da Mesa Diretora, sendo a única mulher presente na nova composição.


No Parlamento, defende as causas da infância, da adolescência e da valorização da família. Érika Amorim é uma importante representante do protagonismo feminino na política. Está, atualmente, na presidência estadual do PSD Mulher e responde pela coordenação da sigla em Caucaia, município do qual é a principal representante na Assembleia.

Como primeira-dama de Caucaia, esteve à frente da força-tarefa para o município reconquistar o Selo Unicef - certificação internacional de cidade que reduz desigualdades e garante direitos de crianças e adolescentes.

A deputada faz parte da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental e Combate à Depressão; da Frente Parlamentar Cristã em Defesa da Família, da Vida e da Liberdade Religiosa; da Frente Parlamentar pela Superação da Pobreza Multidimensional na Infância e Adolescência e da Frente Parlamentar em Defesa do Sistema Único de Assistência - SUAS.

Na Comissão da Infância, Érika Amorim encabeçou o projeto Jornada Pela Infância. A ação, conduzida pela parlamentar, vem para reforçar ações de promoção de direitos e prevenção de violações contra crianças e adolescentes em diversos municípios do Estado.

A Jornada promove atividades intersetoriais, pensadas e desenvolvidas dentro de um calendário de ações acerca de diversos temas. O objetivo é, sobretudo, formar profissionais do Sistema de Garantia de Direitos de Crianças e Adolescentes (SGDCA) e de todo o núcleo escolar para que essas pessoas atuem como multiplicadores de direitos.


"Na Assembleia Legislativa, vamos construir um mandato participativo,
com foco na assistência daquelas e daqueles que se encontram em
vulnerabilidade social. Juntos pra melhorar!", destaca a deputada.