ESPECIALISTA APONTA CUIDADOS E RISCOS NAS MÍDIAS DIGITAIS

11 de Março de 2020

"O que muitos não sabem é que toda a lei brasileira é válida, também, no território digital", afirmou a deputada Érika Amorim, que recebeu a psicóloga Fabiana Vasconcelos, do Instituto Dimicuida


As mídias digitais são uma forma crescente de comunicação. A sociedade digital já é uma realidade. Para falar das normas que regem o mundo virtual e os principais cuidados para garantir segurança na rede mundial de computadores, a Comissão da Infância e Adolescência da Assembleia Legislativa recebeu, na terça-feira (11/03), no Complexo de Comissões, a psicóloga Fabiana Vasconcelos, do Instituto Dimicuida. Ela falou sobre A importância da cidadania digital, os impactos em comportamentos de crianças e adolescentes.

"Está cada vez mais frequente  o comportamento tóxico de usuários de diversas redes. O que muitos não sabem é que toda a lei brasileira é válida, também, no território digital. E, para garantir o bom comportamento na internet, contamos com o Marco Civil da Internet", afirma a presidente da Comissão, deputada Érika Amorim, autora do requerimento que solicitou a palestra.

Já a especialista ressalta que a dependência ou o uso excessivo das mídias podem afetar a saúde mental, como a depressão. "O aumento da ansiedade, transtorno e déficit de atenção e hiperatividade são outros possíveis problemas", comenta Fabiana.

Ainda de acordo com a psicóloga, o  acesso por horas no mundo digital impacta negativamente de forma física, porque a pessoa deixa de criar, afetando essa habilidade. “Estou sendo apenas um espectador daquilo. Isso pode ter impacto na coluna, nos olhos", observa.

Segundo Fabiana Vasconcelos, o impacto é ainda maior na pessoa em desenvolvimento. “Os adolescentes estão começando a entrar em uma sociedade física real e digital. No Brasil, temos cerca de 25 milhões de pessoas entre nove  e 17 anos, participando da vida digital. “Como é que isso impacta na vida de uma criança e adolescente. Quanto se está na internet, pode-se escutar discurso bom ou ruim ou tóxico”, pondera.

Entre outras autoridades, assistiram à palestra professores, conselheiros tutelares de municípios e técnicos das secretarias do Estado, bem como estudantes da Escola Municipal de Caucaia Afonso de Medeiros.